6 de fev de 2009

Vidrei

De tão bela rasgava minhas córneas,
explodia meus neurônios,
abrasava meu corpo.
Balancei o rabo, rolei na merda e finji de morto.

Nenhum comentário: