13 de jul de 2009

Diário de bordo I


Porta Alegre -20:42 hrs


Serra, névoa e frio. A pouco eu podia vê uma enorme quantidade de estrelas, coisa incrível, coisa que não se ver na cidade, mas agora, há somente névoa. Estou congelando, 18°. Sem sinal, celular só a beira da piscina e a água é tão gelada quanto o meu nariz. Em uma mesa a poucos passos está o livro dele, com minhas anotações na pior de minhas letras, e irá agrada-lo, eu sei! Comi todos os meus chocolates e o restaurante já fechou, todos se recolheram, o hotel em silêncio e o cricriar dos grilos... eu odeio insetos! Ao meu redor, pontes e escadarias, sinuca, parque, muitas árvores, muitas sombras e eu... Tédio! Escrevi sobre estar sem meias perdido nas serras, sobre pinguins, coelhos e lobos e escrevi também cartas que nunca serão entregues. As horas, horas e horas... a cada segundo sinto mais frio, tanto frio, tanta saudade, tanta vontade...

Um comentário:

Rodrigo Nazca disse...

o calor estava longe, mas já chegou...