25 de set de 2009

LJM - 1,2,3!


Conversa fiada sobre tudo e qualquer coisa, a beira da piscina e triângulo no céu azul bem dia!
" sem cueca", sorrisos límpidos de boba alegria que nos prometemos fazer durar. E ficar presos no elevador e morrendo não de susto e sim de euforia. E rir-se enquanto ela quase é arrastada pelo carro "Uhu, sou João Hélio!". Andar sem rumo, apreciar lingeries "Oncinha e zebra é tiro certo, lindo demais!". Um vestido sem vergonha cheio de espectadores. Doritos de pimenta no chão geladinho do corredor do shopping, brisa das 17 horas, línguas quentes e olhinhos de coisa boa. Muitas e muitas mais risadas. Programações, planos, sonhos... Cada parte indo juntos pro seu compromisso. "Temos que aproveitar já que estou solteiro e você também e vamos se pegar... - Sério? -Sério!" Beijo bonito com direito a nítida inveja da bizarra chupadora de sorvete. Indo ver estrelas no telhado do menino escritor e dono de um telescópio, bom demais se tivesse sido. Esperando o camisa vermelha que não atendia o celular. Pedir celular emprestado a desconhecido tarado. Satisfeitas -Casa do intercâmbio, gente diferente, música boa e aaaaalta! Clima envolvente, sonho de consumo. E a incrível dançarina de Cabo Verde. O carro impressadinho, as técnicas sobre o cigarrinho de Jhá. Os tragos do natural proibido em frente a uma fábrica de sa-pa-tos (eu ri!). "Todos saíram e minha bolsa ficou dentro da casa?!, fudida!". "Cadê a chave do carro?". "Eu falando muito alto?". Risos e risos e risos sem motivo nem fim. Os olhares dilatados e brilhantes agitando-se de mãos dadas e toda a nossa lombra compartilhada. "Qual o nome da nave do Papai Noel?" Melhor frase da noite, que foi anotada pra não correr o risco de ser esquecida. Ele é tão empolgante chapado... "Eu sou o melhor canal da sua lombra-tv!". Sentamos e deitamos em nossas viagens, sempre juntos, sempre-sempre! "Vamos repetir nosso beijo triplo de Campina Grande?" Beijo lindo, beijo lindo! "Ain, dessa vez foi tão chamego gente..." . Flashs de memória. Coisas e milhares de coisas que lembro hoje e não sei lembrar direito. E como saber se eu lembro de tudo, já que o quê eu lembro pode ser um pedaço e como não lembro do resto penso ser tudo. Eis a questão da madrugada! Risos nossos e broncas da velha chata. Antes ainda da casa dela, a brincadeira dos curiosos da intimidade alheia e dos aproveitadores por prendas, 'Eu nunca!' Recordo de nada disso... Mas claro que não esqueceria do "Oi, eu sou Laura!" - Ele dentuço, parecendo um babuíno e repetindo essa frase sem cessar. Chorei de rir e ainda mais acrescentando o murro em câmera lenta, tive que filmar! Depois, ela jogada no chão, as conversas paralelas e ... e... milhares de ligações desesperadas, a fatal hora de ir. Despedidas dos conhecidos conhecidos a algumas horas. Em cima do batente pra ficar na mesma altura - abraço forte e aconchegante do ôgro e um delicioso olhar de confiança. Abraço deles. Tchau em coro e vamos indo eu e ela...
"Não é porquê estou chapado, mas essa noite foi foda!"
Lembrei com o canto da boca sorrindo.

4 comentários:

M. disse...

Sempre!

Ralph Wüf disse...

Interessante teu conto, ao menos divertido... :]

Belo texto, moça!

Nikku disse...

Imagens formadas.

Ótimo texto, um dos melhores.

Juão disse...

Caralho, vc nao perde por esperar...texto lindo lindo lindo! e noite maravilhosa!!!!