4 de dez de 2010

Quero estar com você, sentindo o cheiro, querendo tocar nas mãos, na pernas, na alma. Quero estar bem perto, assim, daquele nosso jeito que parece que não estamos, mas sentimos. Quero as lições de casa, as lições de vida, os pedidos, os testes e todo o seu ar de profissionalismo. Quero ter certeza que você está pensando o mesmo que eu, querendo o mesmo que eu, e mesmo assim me acabar nas dúvidas. Quero a inocência da historinha do Canguru Peleco, dos cafunés, de roubar os lençóis, dos pés enganchados. Quero o café da manhã na casa da avó mais desejável do meu mundo, com sua leveza e sensualidade ao cozinhar. Quero saber miar, ajudar a cuidar dos animais, das plantas e caminhar no sol escaldante, até o supermercado. Quero os policiamentos de olhares, os impulsos, os silêncios. Quero todos os tudos e os também os nadas. Quero que você queira, e que eu saiba.

2 comentários: