15 de out de 2009

"Ela dorme sorrindo!"


Sobre eles flutuavam seus desejos, suas visões, suas palavras, sorrisos... sua vida. Longe, perto ou dormindo sabia, sentia o perfume das flores e a brisa bailarina de longa primavera. "Ela dorme sorrindo... só poderia estar muito feliz." Pois estava!
A verdade vista é diferente da inventada? Quando os encontra, seus olhos gelatinosos roubam o comprimento "Oi felicidade!".

(Perdi o poder de conter-me)
Cansou-se! Não tinha a velha força de entristecer.